Artigos

 As Tentações


   

No primeiro domingo da quaresma lemos o evangelho de S. Lucas (4,1-13) em que Jesus, iluminado pela Palavra de Deus, teve discernimento para desmascarar e vencer as tentações do demônio. Portanto a Palavra é também nossa arma contra as tentações do inimigo.

 

O demônio tendo sido duas vezes humilhado pela Palavra de Deus, vendo que Jesus se orientava pela Palavra, mudou de tática na argumentação e também citou a Palavra de Deus para Jesus (Sl. 91,11s, Lc. 4,10s). 

 

Isto nos assusta porque a Palavra de Deus pode ser mal interpretada, isto é, pode nos afastar de Deus. Jesus repeliu a tentação bíblica do demônio dizendo: “Não tentarás o Senhor teu Deus” Lc. 4,12). Pensei então, se o demônio quis enganar até Jesus com falsas interpretações da Palavra de Deus, será que ele não está fazendo isto, hoje, também conosco? Se não tivermos critérios para distinguir as interpretações da Palavra, então ela se torna não só inútil, mas até prejudicial, a favor do demônio.

 

Foi nesse contexto que percebi a enganação e vitória do demônio, fazendo os protestantes crerem que a “Bíblia, sujeita ao livre exame, é a única regra de fé,”. O protestante nunca sabe se está sob a influência do Espírito de Deus ou do Maligno. Esta é uma terrível tentação para os protestantes.

 

É aqui que entendi porque Jesus não escreveu um livro para continuar a sua obra, mas instituiu uma Igreja, com legítimos representantes seus, aos quais prometeu o Espirito da Verdade para guia-los, afim de que pudessem confirmar os irmãos na fé e as portas do inferno não vencessem sua Igreja. Jo.14,26: “Mas o Paráclito, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, é que vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos disse”. Lc. 22,31s: “Simão, Simão, eis que Satanás pediu insistentemente para vos peneirar como trigo; eu, porém, orei por ti, afim de que tua fé não desfaleça. Quando, porém, te converteres, confirma teus irmãos”.  Entendi que somente os legítimos ministros de Jesus, enviados a ensinar em nome dele, podem gozar da promessa de Jesus: “Eu estarei convosco todos os dias até o fim dos tempos (Mt. 28,20) e “Quem vos ouve a mim ouve” (Lc. 10,16).

 

Assim, cada dia, me torno mais católico e menos protestante.

 

Pe. Sílvio Mocelin - Paróquia São Pedro e São Paulo


Fonte: pe. Sílvio Mocelin
Postado em: 18/02/2013 às 14:03:41



Pesquisar no Site


  • Newsletter

  • Paróquia São Pedro e São Paulo - Diocese de Ponta Grossa - Telêmaco Borba - Paraná
    Sociedade Beneficiente São Pedro - Fone: (42)3272 8557 / (42) 3272 8930 - pascom@pspsp.com.br
    Está obra de evangelização não possui fins lucrativos e é custeada através do dinheiro do dízimo
    Desenvolvido por Rinaldo M. Heil